top of page

Alta Carga de Trabalho Hospitalista Prejudica a Qualidade do Cuidado

Atualmente, médicos hospitalistas vêm enfrentando uma crescente pressão a fim de maximizar a produtividade, o que pode comprometer a eficiência e a qualidade do cuidado. Com isso, maiores cargas de trabalho para médicos hospitalistas residentes foram associadas a eventos adversos, apesar de haver pouca evidência associando a carga de trabalho hospitalista e resultados clínicos.


Em um recente levantamento nacional de hospitalistas, 40% dos entrevistados relataram exceder o que percebiam como uma carga de trabalho segura e que tal aumento da carga de trabalho levou a demora no atendimento, comunicação deficiente entre médicos e pacientes, fornecimento desnecessário do cuidado, erros de medicação e complicações do cuidado, incluindo a morte. Portanto, compreender a associação entre a carga de trabalho e a eficiência e qualidade do cuidado é essencial ao desenvolvimento de um sistema hospitalar ideal para o presente e o futuro.


Assim, um estudo, com mais de 20.000 pacientes internados, foi realizado em um serviço hospitalista privado do sistema de saúde da comunidade acadêmica de Delaware/EUA, o qual forneceu evidências de que o aumento da carga de trabalho hospitalista está associada com eficiência reduzida e custos elevados. Os resultados são mostrados nos gráficos e na tabela abaixo.


Além disso, hospitalistas passam grande parte de seu tempo em atividades indiretas do cuidado, como documentação, coordenação do cuidado com o paciente e fornecedores. Assim, hospitalistas têm reportado que altas cargas de trabalho atrasam processos como admissão e alta hospitalar, assim como, reduzem a sua capacidade de avaliar adequadamente o paciente e discutir de forma plena o plano de cuidado com paciente e familiares. Ademais, mencionaram solicitar procedimentos, testes e consultas desnecessários quando atarefados, todos estes, conduzindo ao aumento dos custos.


Então, isso demonstra que o aumento da carga de trabalho hospitalista, de fato, é associado com um aumento clinicamente significativo do tempo de permanência e de custos hospitalar, sendo estes resultados relevantes à gestão hospitalar. Embora ainda sejam necessários estudos em diferentes ambientes clínicos, devido à variabilidade destas associações entre os sistemas, esses resultados sugerem que incentivos destinados a aumentar a carga de trabalho podem levar a assistência ineficiente e cara. Assim, sistemas que incentivam os médicos com base na produtividade, devem considerar a introdução de medidas de eficiência e qualidade.




Fonte:

Elliott DJ, Young RS, Brice J, Aguiar R, Kolm P. Effect of Hospitalist Workload on the Quality and Efficiency of Care. JAMA Internal Medicine. 2014;174(5):786-793. doi:10.1001/jamainternmed.2014.300.

Robert M. Wachter, MD. The Search for the Magic Number. JAMA Internal Medicine. 2014;174(5):794-795. doi:10.1001/jamainternmed.2014.18.



Notícias
Artigos e Atualidades
Cursos e Treinamentos